Serviço – Prazo para declaração de MEI chega a última semana e alterações podem prejudicar microempreendedores

Consultor financeiro aponta que mudanças como nomenclatura e tipo de atividade, instituídas pela Receita, podem ocasionar erros nas declarações

Iniciado desde o dia 02 de janeiro, deste ano, o prazo para declaração anual do MEI (microempreendedor individual) vai até o dia 31/05.  O prazo estendido e as inúmeras orientações disponíveis na internet, tornam mais fáceis aos pequenos empreendedores, a apresentação da declaração onde consta todo o rendimento bruto do ano anterior. Seja venda de mercadorias, prestação de serviço ou emissão de nota fiscal, por exemplo, o MEI deve apresentar à Receita Federal o documento atualizado com todas as informações referentes aos saldos adquiridos.

Para o contador Marcos Sá, preparar a declaração do MEI é um processo mais simples, se comparado a declaração do imposto de renda de pessoa física, por exemplo, mas alerta, “anualmente a Receita Federal realiza alterações no chamada Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE), esse ajuste resulta na modificação de nomenclaturas, inclusão ou exclusão de atividades permitidas aos MEIs e outras mudanças. É preciso ficar atento a esses ajustes a fim de se certificar que a atividade exercida pelo empreendedor permanece regular junto a Receita”.

MEI e Simples Nacional

A participação no regime compartilhado de arrecadação, cobrança e fiscalização, o chamado Simples Nacional, inicia quando o microempreendedor não se enquadra nas atividades possíveis para o MEI, conforme alteração da Receita Federal. Tendo sido excluída a atividade que o MEI exerce, ele deverá solicitar seu desenquadramento no portal Simples Nacional.

Na prática, isso significa que o microempreendedor passará a ser uma micro empresa ou uma empresa de pequeno porte. “Nesse caso, as regras são outras e é importante estar por dentro de todas elas, a fim de não perder o prazo para a declaração ou fazê-la incompleta”, afirma o contador Marcos Sá, e conclui, “utilizar o aplicativo disponível no site Simples Nacional, para cálculo do valor e geração da guia de recolhimento e recolher os tributos pela regra do simples nacional, como microempreendedor ou empresa de pequeno porte”.

Declaração de MEI chega a última semana e alteração pode prejudicar microempreendedor

Iniciado desde o dia 02 de janeiro, deste ano, o prazo para declaração anual do MEI (microempreendedor individual) vai até o dia 31/05. O prazo estendido e as inúmeras orientações disponíveis na internet, tornam mais fáceis aos pequenos empreendedores, a apresentação da declaração onde consta todo o rendimento bruto do ano anterior. Seja venda de mercadorias, prestação de serviço ou emissão de nota fiscal, por exemplo, o MEI deve apresentar à Receita Federal o documento atualizado com todas as informações referentes aos saldos adquiridos.Para o contador Marcos Sá, preparar a declaração do MEI é um processo mais simples, se comparado a declaração do imposto de renda de pessoa física, por exemplo, mas alerta, “anualmente a Receita Federal realiza alterações no chamada Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE), esse ajuste resulta na modificação de nomenclaturas, inclusão ou exclusão de atividades permitidas aos MEIs e outras mudanças. É preciso ficar atento a esses ajustes a fim de se certificar que a atividade exercida pelo empreendedor permanece regular junto a Receita”.

MEI e Simples Nacional

A participação no regime compartilhado de arrecadação, cobrança e fiscalização, o chamado Simples Nacional, inicia quando o microempreendedor não se enquadra nas atividades possíveis para o MEI, conforme alteração da Receita Federal. Tendo sido excluída a atividade que o MEI exerce, ele deverá solicitar seu desenquadramento no portal Simples Nacional.

Na prática, isso significa que o microempreendedor passará a ser uma micro empresa ou uma empresa de pequeno porte. “Nesse caso, as regras são outras e é importante estar por dentro de todas elas, a fim de não perder o prazo para a declaração ou fazê-la incompleta”, afirma o contador Marcos Sá, e conclui, “utilizar o aplicativo disponível no site Simples Nacional, para cálculo do valor e geração da guia de recolhimento e recolher os tributos pela regra do simples nacional, como microempreendedor ou empresa de pequeno porte”.

Mudanças como nomenclatura e tipo de atividade podem ocasionar erros nas declarações

Prazo para declaração de microempreendedor individual encerra na próxima sexta-feira

Seja pela venda de mercadorias, prestação de serviço ou emissão de nota fiscal, por exemplo, o microempreendedor deve apresentar à Receita Federal o documento atualizado com todas as informações referentes aos saldos adquiridos. O prazo para declaração anual do microempreendedor individual, iniciado no dia 2 de janeiro, encerra na próxima sexta-feira (31). Quem ainda não enviou a declaração, basta acessar o Portal do Empreendedor dentro do prazo estabelecido.

A declaração é obrigatória para que o microempreendedor mantenha os benefícios da formalização, como a cobertura da Previdência Social, aposentadoria e auxílios para o empreendedor e sua família. Quem não apresentar a declaração no prazo pagará uma multa de R$ 50 e não poderá emitir os boletos mensais deste ano, referentes ao pagamento do INSS, ISS e ICMS. Além disso, é notificado pela Receita Federal com um novo prazo para quitar todos os débitos.

Para o contador Marcos Sá, preparar a declaração do MEI é um processo mais simples, se comparado a declaração do imposto de renda de pessoa física, por exemplo.

“Anualmente a Receita Federal realiza alterações na chamada Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE), esse ajuste resulta na modificação de nomenclaturas, inclusão ou exclusão de atividades permitidas aos MEIs e outras mudanças. É preciso ficar atento a esses ajustes para se certificar que a atividade exercida pelo empreendedor permanece regular junto a Receita, afirma Marcos.

Fonte: https://www.cearaagora.com.br/site/prazo-para-declaracao-de-microempreendedor-individual-encerra-na-proxima-sexta-feira/

Novidades na declaração do MEI podem causar dúvidas

A apresentação do Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) já está com o prazo aberto e todas as pessoas jurídicas são obrigadas a apresentar a declaração. O IRPJ é um imposto recolhido, anualmente, pela Receita Federal, que tem por objetivo apurar as rendas das empresas brasileiras e verificar se suas obrigatoriedades, enquanto empreendimentos, estão devidamente regulares.

O consultor financeiro Marcos Sá aponta que existem diferentes tipos de enquadramento das empresas, e que para cada uma existem regras diferentes. “As empresas podem se enquadrar no grupo de pessoa jurídica ativa ou inativa. É importante que todo empreendedor procure um profissional que saiba distinguir o tipo de empresa e realizar a declaração da forma que convém”, aponta.

A declaração do imposto é feita através do documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF) e gerada pelo site da Receita Federal até o último dia do mês de maio (31). O contador Marcos Sá esclarece que, questões como cálculo do imposto e período de apuração são fundamentais para que seja feita a declaração e pontua, o valor que o empreendedor pode pagar varia de acordo com a renda anual que está sendo apresentada. Se está ultrapassar o valor de vinte mil reais anual haverá a incidência de cobrança de juro adicional de 10%.

Apresentação fora do prazo estabelecido
O atraso no envio da declaração incorreto em multas que variam de 2 a 20% do valor final declarado. Além disso, serão atribuídas taxas no valor de R$ 20,00 a cada dez informações incorretas identificadas pela Receita.

O contador Marcos Sá esclarece que, “é importante que o empresário organize roda a documentação necessária, como controle financeiro, fluxo de caixa e horas fiscais. Toda a documentação deve ser conferida e apresentada por meio do uso de um certificado digital, disponível no programa gerador de declaração (PGD), disponível no site da Receita”.

fonte: http://cnews.com.br/cnews/noticias/138418/novidades_na_declaracao_do_mei_podem_causar_duvidas

Como declarar Imposto de Renda de pessoa jurídica?

A apresentação do Imposto de Renda Pessoa Jurídica está com prazo aberto e todas as pessoas jurídicas são obrigadas a apresentar a declaração. O IRPJ é um imposto recolhido, anualmente, pela Receita Federal, que tem por objetivo apurar as rendas das empresas brasileiras e verificar se suas obrigatoriedades, enquanto empreendimentos, estão devidamente regulares.

O consultor financeiro Marcos Sá aponta que existem diferentes tipos de enquadramento das empresas, e que para cada uma existem regras diferentes. “As empresas podem se enquadrar no grupo de pessoa jurídica ativa ou inativa. É importante que todo empreendedor procure um profissional que saiba distinguir o tipo de empresa e realizar a declaração da forma que convém”, aponta.

A declaração do imposto é feita através do documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF) e gerada pelo site da Receita Federal até o último dia do mês de maio (31). O contador Marcos Sá esclarece que, questões como cálculo do imposto e período de apuração são fundamentais para que seja feita a declaração e pontua, o valor que o empreendedor pode pagar varia de acordo com a renda anual que está sendo apresentada. Se está ultrapassar o valor de vinte mil reais anual haverá a incidência de cobrança de juro adicional de 10%.

Apresentação fora do prazo estabelecido
O atraso no enviei da declaração incorreto em multas que variam de 2 a 20% do valor final declarado. Além disso, serão atribuídas taxas no valor de R$ 20,00 a cada dez informações incorretas identificadas pela Receita.

O contador informa que, “é importante que o empresário organize roda a documentação necessária, como controle financeiro, fluxo de caixa e horas fiscais. Toda a documentação deve ser conferida e apresentada por meio do uso de um certificado digital, disponível no programa gerador de declaração (PGD), disponível no site da Receita”.

fonte: http://cnews.com.br/cnews/noticias/138187/como_declarar_imposto_de_renda_de_pessoa_juridica

Prazo para declaração do imposto de renda pessoa jurídica

A apresentação do Imposto de Renda Pessoa Jurídica já está com o prazo aberto e todas as pessoas jurídicas são obrigadas a apresentar a declaração. O IRPJ é um imposto recolhido, anualmente, pela Receita Federal, que tem por objetivo apurar as rendas das empresas brasileiras e verificar se suas obrigatoriedades, enquanto empreendimentos, estão devidamente regulares.

O consultor financeiro Marcos Sá aponta que existem diferentes tipos de enquadramento das empresas, e que para cada uma existem regras diferentes. “As empresas podem se enquadrar no grupo de pessoa jurídica ativa ou inativa. É importante que todo empreendedor procure um profissional que saiba distinguir o tipo de empresa e realizar a declaração da forma que convém”, aponta.

A declaração do imposto é feita através do documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF) e gerada pelo site da Receita Federal até o último dia do mês de maio (31). O contador Marcos Sá esclarece que, questões como cálculo do imposto e período de apuração são fundamentais para que seja feita a declaração e pontua, o valor que o empreendedor pode pagar varia de acordo com a renda anual que está sendo apresentada. Se esta ultrapassar o valor de vinte mil reais anual haverá a incidência de cobrança de juro adicional de 10%.

Apresentação fora do prazo estabelecido

O atraso da declaração ou envio incorreto pode resultar em multas que variam de 2 a 20% do valor final declarado. Além disso, serão atribuídas taxas no valor de R$ 20,00 a cada dez informações incorretas identificadas pela Receita.

O contador Marcos Sá esclarece que, “é importante que o empresário organize toda a documentação necessária, como controle financeiro, fluxo de caixa e horas fiscais. Toda a documentação deve ser conferida e apresentada por meio do uso de um certificado digital, disponível no programa gerador de declaração (PGD), no site da Receita”.

fonte: https://www.siaranews.com.br/prazo-para-declaracao-do-imposto-de-renda-pessoa-juridica-segue-ate-o-dia-31-e-empresarios-devem-ficar-atentos-as-regras-para-cada-tipo-de-empresa-22-05-2019/

Perda do prazo resulta em multa de pelo menos R$ 165

A declaração do imposto de renda, mesmo sendo feita todos os anos, é sempre uma caixa de surpresa e um risco, se deixada para última hora. O prazo longo para a apresentação da declaração prova que os brasileiros precisam de tempo para organizar todos os seus lucros e dívidas referentes ao último ano, mas se esse prazo não for respeitado, o peso vai ser sentido no bolso de quem deveria ter declarado.

A expectativa da Receita Federal é que 30,5 milhões de contribuintes apresentem a declaração. Mas a expectativa da Receita não necessariamente será alcançada, e para os casos de contribuintes que não atenderem aos prazos para apresentar a declaração, as taxas, mesmo as mínimas, podem ser salgadas. Para esclarecer e alertar os contribuintes, a Receita informou, por meio do seu site, que as pessoas que não entregarem a declaração até o dia 30 de abril irão pagar, pelo menos, uma multa referente a 1% sobre o imposto devido do mês. O valor mínimo a ser pago é de R$ 165,74 e o máximo é de 20% do imposto devido.

fonte: http://cnews.com.br/cnews/noticias/137171/perda_do_prazo_resulta_em_multa_de_pelo_menos_r_165