Apenas 17% da população pretende utilizar o 13º para pagar contas atrasadas, aponta pesquisa

O consultor financeiro Marcos Sá aponta que a melhor forma de utilizar o salário extra é no pagamento de dívidas anteriores, ainda que os gastos de natal e ano novo sejam altos

O período do final e início de ano é sempre mais caros para os consumidores. Festas como natal, ano novo, férias e gastos como IPVA e IPTU são alguns dos gastos que os brasileiros não podem escapar e o alívio para todas essas dívidas pode ser o 13º salário. Pesquisa do SPC aponta que apenas 17% dos brasileiros pretendem utilizar o salário extra para pagar dívidas, número que deveria ser maior quando o universo de brasileiros endividados ultrapassa os 62 milhões.

 

Pesquisa divulgada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostra que o nordeste alcançou em outubro o segundo lugar no ranking de consumidores inadimplentes, ou seja, 17 milhões de nordestinos estão negativados.

 

De acordo com o contador e consultor financeiro, Marcos Sá, a regra para se manter equilibrado com as dívidas neste período de final e início de ano é identificar o que é necessidade do que é desejo. ‘’O período da transição de um ano para outro envolve gastos que as pessoas não podem evitar, como impostos de carro, casa, matrícula, com aqueles que elas geralmente não querem evitar, que são as viagens de férias e gastos com natal e ano novo.

 

Com o pagamento do 13º salário, cerca de R$ 211 milhões serão movimentados no país, segundo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), valor que pode representar uma diminuição do número de endividados ou pode fazê-lo crescer. ‘’A aplicação do 13º salário para o pagamento de dívidas pode ser uma saída eficaz para a quitação ou diminuição delas. Para as pessoas que possuem dívidas muito altas o melhor é recorrer a uma negociação, mas quando não for esse o caso, aplicá-lo no pagamento de dívidas antigas é a melhor saída para começar o ano’’, conclui o consultor.

fonte: http://tribunadoceara.uol.com.br/blogs/investe-ce/2018/12/18/apenas-17-da-populacao-pretende-utilizar-o-13o-para-pagar-contas-atrasadas-aponta-pesquisa-2/

Mudança no ICMS pode subir preços de móveis e eletrodomésticos em até 40%

Uma alteração na cobrança do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) sobre eletrodomésticos e móveis pode torná-los mais caros no Ceará. Ocorre que um decreto estadual (nº 32900) estipula a Substituição Tributária, a contar de janeiro. Isso significa que o imposto será cobrado por toda a cadeia produtiva. A avaliação dos contabilistas é que a mudança deve gerar um aumento tributário de 40% aos setores, que deverá ser repassado ao consumidor.

 

Procurados, diversos segmentos informaram que ainda não calcularam o impacto. A medida vale para a indústria, comércio varejista e atacadista de equipamentos elétricos, aparelhos eletrônicos de uso pessoal, doméstico, aparelhos e ar-condicionado. Na prática, a cobrança do ICMS é feita na venda. Com a modificação do sistema, o fabricante recolhe o tributo de todas as empresas que incorporam o processo de produção e embute a taxa no valor do produto.

 

Segundo o contador Marcos Sá, a regra elimina a possibilidade de aproveitamento de crédito e estabelece uma margem de agregação de 40%.

 

“Antes era a sistemática de débito e crédito, onde se viesse da região Sul e Sudeste vinha com um crédito de 7% e pagava o diferencial de 11%. Se visse da região Norte e Nordeste vinha com crédito de 12% e pagava um diferencial de 6%. Basicamente, o imposto na entrada (do produto no Estado) foi onerado. O que era 11% passou a 18,20% e o que era 6% passou para 16,54%”, explica.

 

Na outra ponta, as grandes empresas podem ser beneficiadas, segundo Daniel Sales, Presidente da Associação dos Contabilistas do Ceará (Acontece). “Vai aumentar a carga para os estabelecimentos principalmente o de médio porte.

 

Para as de grande porte, pode ser que fique mais em conta porque eles podem fazer um regime especial de tributação cuja carga fica reduzida em 41,18%”, aponta.

 

Erinaldo Dantas, advogado tributarista, professor de Direito Tributário e presidente da Ordem dos Advogados do Brasil Secção Ceará (OAB-CE), esclarece que a substituição tributária é feita para gerar mais eficiência na arrecadação e evitar a sonegação. Para ele, o decreto não deve produzir uma majoração. “O empresário já teria que pagar esse imposto quando vendesse o produto. O governo está cobrando o custo antecipado para ter certeza que será pago. A substituição não é aumento, é antecipação”, explica.

Procurada, a Secretaria da Fazenda (Sefaz) não respondeu até o fechamento desta edição.

 

A LEI 

 

Estabelecimentos deverão reter, nas operações internas, a carga líquida tributária de 6,93% sobre o valor da operação acrescido da margem de valor agregado no percentual de 40%.

 

SOBRE QUEM INCIDE 

 

FABRICAÇÃO

 

fogões, refrigeradores e máquinas de lavar e secar para uso doméstico, peças e acessórios; aparelhos elétricos de uso pessoal, peças e acessórios; outros aparelhos eletrodomésticos não especificados anteriormente, peças e acessórios;split system (aparelhos de ar-condicionado para uso doméstico; aparelhos e equipamentos de ar-condicionado para uso não industrial; móveis com predominância de madeira; móveis com predominância de metal; móveis de outros materiais, exceto madeira e metal.

 

COMÉRCIO ATACADISTA

 

de equipamentos elétricos de uso pessoal e doméstico; de ar-condicionado para residências; de aparelhos eletrônicos de uso pessoal e doméstico; de móveis e artigos de colchoaria; de utensílios domésticos; de ar-condicionado, condicionadores de ar para uso comercial.

 

COMÉRCIO VAREJISTA

 

especializado de eletrodomésticos e equipamentos de áudio e vídeo; de aparelho de ar-condicionado doméstico;de móveis; especializado de peças e acessórios para aparelhos eletroeletrônicos para uso doméstico, exceto informática e comunicação; de utensílios domésticos.

fonte: https://mobile.opovo.com.br/jornal/economia/2019/01/mudanca-no-icms-pode-subir-precos-de-moveis-e-eletrodomesticos-em-ate.html

APENAS 17% DA POPULAÇÃO PRETENDE UTILIZAR O 13º PARA PAGAR CONTAS ATRASADAS, APONTA PESQUISA

O período do final e início de ano é sempre mais caros para os consumidores. Festas como natal, ano novo, férias e gastos como IPVA e IPTU são alguns dos gastos que os brasileiros não podem escapar e o alívio para todas essas dívidas pode ser o 13º salário. Pesquisa do SPC aponta que apenas 17% dos brasileiros pretendem utilizar o salário extra para pagar dívidas, número que deveria ser maior quando o universo de brasileiros endividados ultrapassa os 62 milhões.

Pesquisa divulgada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostra que o nordeste alcançou em outubro o segundo lugar no ranking de consumidores inadimplentes, ou seja, 17 milhões de nordestinos estão negativados.

De acordo com o contador e consultor financeiro, Marcos Sá, a regra para se manter equilibrado com as dívidas neste período de final e início de ano é identificar o que é necessidade do que é desejo. ”O período da transição de um ano para outro envolve gastos que as pessoas não podem evitar, como impostos de carro, casa, matrícula, com aqueles que elas geralmente não querem evitar, que são as viagens de férias e gastos com natal e ano novo.

Com o pagamento do 13º salário, cerca de R$ 211 milhões serão movimentados no país, segundo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), valor que pode representar uma diminuição do número de endividados ou pode fazê-lo crescer. ”A aplicação do 13º salário para o pagamento de dívidas pode ser uma saída eficaz para a quitação ou diminuição delas. Para as pessoas que possuem dívidas muito altas o melhor é recorrer a uma negociação, mas quando não for esse o caso, aplicá-lo no pagamento de dívidas antigas é a melhor saída para começar o ano”, conclui o consultor.

fonte: https://noolhardigital.com.br/2018/12/17/apenas-17-da-populacao-pretende-utilizar-o-13o-para-pagar-contas-atrasadas-aponta-pesquisa/

Economia – *Apenas 17% da população pretende utilizar o 13º para pagar contas atrasadas, aponta pesquisa*

O consultor financeiro Marcos Sá aponta que a melhor forma de utilizar o salário extra é no pagamento de dívidas anteriores, ainda que os gastos de natal e ano novo sejam altos_

O período do final e início de ano é sempre mais caros para os consumidores. Festas como natal, ano novo, férias e gastos como IPVA e IPTU são alguns dos gastos que os brasileiros não podem escapar e o alívio para todas essas dívidas pode ser o 13º salário. Pesquisa do SPC aponta que apenas 17% dos brasileiros pretendem utilizar o salário extra para pagar dívidas, número que deveria ser maior quando o universo de brasileiros endividados ultrapassa os 62 milhões.

Pesquisa divulgada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) mostra que o nordeste alcançou em outubro o segundo lugar no ranking de consumidores inadimplentes, ou seja, 17 milhões de nordestinos estão negativados.

De acordo com o contador e consultor financeiro, Marcos Sá, a regra para se manter equilibrado com as dívidas neste período de final e início de ano é identificar o que é necessidade do que é desejo. ‘’O período da transição de um ano para outro envolve gastos que as pessoas não podem evitar, como impostos de carro, casa, matrícula, com aqueles que elas geralmente não querem evitar, que são as viagens de férias e gastos com natal e ano novo.

Com o pagamento do 13º salário, cerca de R$ 211 milhões serão movimentados no país, segundo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (Dieese), valor que pode representar uma diminuição do número de endividados ou pode fazê-lo crescer. ‘’A aplicação do 13º salário para o pagamento de dívidas pode ser uma saída eficaz para a quitação ou diminuição delas. Para as pessoas que possuem dívidas muito altas o melhor é recorrer a uma negociação, mas quando não for esse o caso, aplicá-lo no pagamento de dívidas antigas é a melhor saída para começar o ano’’, conclui o consultor.

fonte: https://noolhardigital.com.br/2018/12/17/apenas-17-da-populacao-pretende-utilizar-o-13o-para-pagar-contas-atrasadas-aponta-pesquisa/

Devedores de impostos podem ser criminalizados

Os governos Federal e Estadual estão fechando o cerco contra os devedores de impostos.

 

No Ceará, foi sancionada a lei que cria a Vara de Crimes contra a Ordem Tributária de Fortaleza, que deve começar a funcionar até o dia 20 de dezembro.

 

O objetivo é dar celeridade aos processos, mas há também a possibilidade de condenação e até prisão de devedores de impostos como ICMS, IPTU e ISS. Os trabalhos devem ser iniciados com um acervo superior a 2 mil processos.

 

Já a Receita Federal autorizou a divulgação em seu site dos encaminhamentos ao Ministério Público, com dados e nomes de contribuintes suspeitos de cometerem crimes como contrabando, contra a ordem tributária e Previdência Social.

 

Alguns especialistas elogiam a transparência, mas a “lista negativa ou suja” também é avaliada como uma forma de constranger o contribuinte a quitar débitos. A Portaria nº 1.750 ampliou ainda os atos e o rol de crimes que podem ser representados, com a inclusão da improbidade administrativa.

 

Alguns advogados estão dizendo que a medida é uma forma de coação dos contribuintes, já que a pessoa é pressionada a pagar aquele débito, mesmo que não tenha culpa comprovada. A Receita Federal defende que a medida se baseia na Lei nº 12.527, de 2011, a Lei de Acesso à Informação, que trata de transparência fiscal.

 

|Tributos|

 

RISCOS PARA ATIVIDADE EMPRESARIAL

Com essas medidas de arrocho fiscal, consultores da área contábil alertam que pode haver até uma arrecadação inicial maior, mas o momento é considerado ruim até pela situação financeira difícil das empresas, podendo empurrar muita gente para a informalidade.

 

“Sei que os débitos possuem a mesma natureza, mas devem ser analisados de uma forma diferente por parte do fisco”, diz Getúlio de Abreu, da Contabilidade. O alerta de alguns contabilistas é para não se misturar casos de sonegação e a dificuldade de falta de caixa de algumas empresas.

 

O consultor Marcos Sá afirma que a atividade empresarial terá um aumento dos seus riscos e não há um efeito contrário. Ou seja, criminalizar o Estado por não proporcionar saúde, segurança, educação, transporte e moradia como deveria.

 

Mobilização

 

PLANO PARA A CAJUCULTURA

O Plano de Ação Territorial da Cajucultura será lançado no próximo dia seis. O Banco do Nordeste e o Comitê Gestor Territorial farão apresentação dos trabalhos durante evento na Escola Darcy Ribeiro, antigo IFCE, em Aracati.

O engenheiro Paulo de Tarso Meyer, inspetor do Crea, tem percorrido as áreas de plantio de Aracati para mobilizar os produtores e chamar atenção para a recuperação do setor.

 

RÁDIO

O POVO Economia da Rádio O POVO CBN (FM 95.5), a partir das 13 horas, de segunda a sexta.

 

FACEBOOK

Curta a nossa página: facebook/opovocbn

 

TV

Você pode assistir ao programa O POVO Economia também através do portal: tv.opovo.com.br/opovoeconomia.

 

|Comércio|

 

MOVIMENTO DO 13º

Quem passeou pelos shoppings neste fim de semana pode assistir novamente o impacto de uma renda como o 13º. Ou seja, as pessoas voltam a comprar e pagar suas dívidas com o dinheiro extra. Portanto, é preciso não só enxugar gastos, mas garantir formas de melhorar a circulação de dinheiro.

 

|BNB|

 

EMPRÉSTIMOS PARA LOJISTAS

Os lojistas de Fortaleza poderão fazer empréstimos para capital de giro e parcelar em até 36 vezes, com juros a partir de 0,50% ao mês. A CDL de Fortaleza e o BNB fecharam convênio, anunciado em setembro, mas na época foi estipulado o número máximo de parcelas em 18 meses. A portaria com os detalhes dos empréstimos foi publicada ontem no Diário Oficial da União.

 

|Conselho |

 

CADEIRA NO COFECON

O presidente do Conselho Regional de Economia (Corecon), Lauro Chaves Neto, assumirá cadeira no Conselho Federal de Economia (Cofecon), no triênio 2019-2021.

 

É mais um cearense a conquistar posição institucional em entidades nacionais.

 

“Qualquer economista que registre honestamente o histórico de suas previsões logo aprende a ser humilde”

Paul Krugman, economista norte- americano

 

fonte: https://www.opovo.com.br/jornal/colunas/neilafontenele/2018/12/devedores-de-impostos-podem-ser-criminalizados.html

Restaurantes de Fortaleza se animam com fim de ano

Dezembro é conhecido pelas festas de final de ano. Muita gente se reúne para confraternizar pelo ano que passou e desejar felicidade para o que se aproxima. Os bares e restaurantes são os locais mais procurados para este momento, e este tem sido o principal fator de crescimento que projeta o setor. Para 2018, a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) projeta um crescimento de 4,5% do setor neste ano, impulsionado pela melhoria da economia.

Cléa Girão, diretora do Jardim do Alchymist, aponta que as expectativas são sempre as melhores neste período do ano. “As pessoas estão mais sensíveis, desejam reencontrar outras, festejar e com isso procuram um local especial. No restaurante, durante o mês de dezembro, 30% das mesas reservadas são para confraternizações, a previsão é de um incremento no faturamento de cerca de 20%”, destaca.

O mesmo cenário é apontado por Rodolphe Trindade, presidente da Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel-CE). Segundo ele, o fim de ano é sempre bom para o setor.

13º salário
Outro ponto que deve favorecer o setor é o pagamento do 13º salário aos trabalhadores. A injeção econômica empolga as festas e segundo o consultor financeiro Marcos Sá, a economia cearense deve apresentar um melhor desempenho neste último mês do ano.

“Já com sinais de recuperação, a economia deve seguir reagindo principalmente com o pagamento do 13º salário. Isso porque, quase metade dos consumidores irão usar o pagamento para ir às compras ou usar neste sentido”, destaca.

 

fonte: http://cnews.com.br/cnews/noticias/132378/restaurantes_de_fortaleza_se_animam_com_fim_de_ano