Pesquisa aponta que 4 em cada 10 empresários pretendem efetivar temporários

Natal foi o período do ano mais citado para justificar contratações; Cafeteria aposta em confraternizações para ampliar quadro de funcionários.

Com a demanda de fim de ano, o número de empregos temporários deve crescer. Diante desse cenário, uma pesquisa realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas e pelo Serviço de Proteção ao Crédito em todas as regiões do país aquece ainda mais as expectativas. Segundo o estudo, 4 em cada 10 empresários pretendem efetivar os temporários contratados. No total, cerca de 1.177 empresários dos ramos de comércio e serviços foram consultados.

Desse número, 29% responderam que pretendem efetivar um único colaborador e 11%, dois ou mais colaboradores. Outro dado retratado foram os das modalidades de contratação até o fim de ano: 52% disseram que empregarão temporários, 49% abrirão vagas informais, 45% com carteira assinada, e 28% farão contratação terceirizada. O Natal foi o período mais citado entre os empresários para justificar a contratação temporária, resultando em 54% do total.

Para o consultor financeiro Marcos Sá, este cenário é benéfico para uma expressiva retomada do crescimento econômico do país. “Com mais gente trabalhando, temos mais dinheiro circulando no comércio que concentra o maior número de contratações, junto com o setor de serviços, da forma como retrata a pesquisa”, destaca. “Diferente dos anos anteriores, a animação já toma conta e as contratações já estão surgindo”, acrescenta.

Em uma cafeteria da cidade, que fica localizada dentro de um complexo gastronômico na Avenida Desembargador Moreira, as contratações já estão sendo feitas. Atendentes, barista e cumin foram selecionados e iniciam seus trabalhos na primeira semana de outubro. A principal motivação do Imprensa Café para somar mais profissionais ao seu quadro de colaboradores durante esse período são as confraternizações do fim de ano.

“Outubro e dezembro é um ótimo período de faturamento. Em nosso espaço, que conta com três ambientes diversificados e um outro mais reservado, muitas pessoas procuram para confraternizações, então é preciso profissionais para atender essa demanda”, destaca Vanessa Cavalcante. “Diante disso, fazemos cardápio especial, desconto na consumação, entre outra ações. Nosso objetivo é que não só o fim de ano seja bom, como também o início do outro seja melhor ainda. Assim, efetivamos esses colaboradores temporários”, acrescenta.

Mais de 100 mil vagas para o fim de ano

Faltando três meses para as comemorações de fim de ano, os setores varejista e de serviços já vêm se preparando para um dos melhores períodos, que promete aquecer o setor com a contratação de novos profissionais. Uma pesquisa também realizada pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), juntamente com o Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil), estima que aproximadamente 103 mil vagas serão abertas até dezembro — um aumento de 43,8 mil postos de trabalho em relação ao previsto ano passado.

O levantamento aponta ainda um leve recuo de 72% para 69% no percentual de empresários que não têm a intenção de fazer contratações neste fim de ano, sejam temporários, informais, efetivos ou terceirizados. A principal justificativa para os reforços do quadro de funcionários é atender ao aumento da demanda neste período do ano, com 88% das menções.

“Isso significa que o mercado de trabalho está reagindo, embora este cenário esteja longe de ser o necessário para abarcar todo o número de desempregados em nosso país. Mas esse movimento de confiança do empresariado já é motivo de comemoração, sobretudo pelas medidas que estão sendo tomadas visando facilitar a vida de quem gera renda”, avalia o consultor Marcos Sá.